Menu

Escola Gianete

Escola Gianete
 

Aqui vão algumas regrinhas do novo acordo, vale apena confirir.

Alfabeto – ganha três letras K W Y.


Trema – desaparece em todas as palavras.

Antes: freqüente; lingüiça; cinqüenta; pingüim; seqüestro; tranqüilo; conseqüência; agüentar.

Depois: frequente; linguiça; cinquenta; pinguim; sequestro; tranquilo; consequência; aguentar.

Acentuação 1 – some o acento dos ditongos abertos éi, ói e éu das palavras paroxítonas (as que têm a penúltima sílaba mais forte).

Antes: européia; idéia; heróico; apóio (v. apoiar); bóia; colméia; estréia; jóia; platéia; paranóia; jibóia; assembléia; odisséia; geléia; epopéia; tramóia.

Depois: europeia; ideia; heroico; apoio (v. apoiar); boia; colmeia; estreia; joia; plateia; paranoia; jiboia; assembleia; odisseia; geleia; epopeia; tramoia.

Obs.: Herói, papéis, troféu mantêm o acento (porque têm a última sílaba mais forte).

Acentuação 2 – some o acento no i e no u fortes depois de ditongos (junção de duas vogais), em palavras paroxítonas.

Antes: baiúca; bocaiúva; feiúra.

Depois: baiuca; bocaiuva; feiura.

Acentuação 3 – some o acento circunflexo das palavras terminadas em êem e ôo (ou ôos).

Antes: crêem; dêem; lêem; vêem; prevêem; enjôo; vôo; zôo.

Depois: creem; deem; leem; veem; preveem; enjoo; voo; zoo.

Acentuação 4 – some o acento diferencial.

Antes: pára, péla, pêlo, pólo, pêra, côa.

Depois: para, pela, pelo, polo, pera, coa.

(*) O acento diferencial continua em pôr (verbo) / por (preposição) e pôde (pretérito) / pode (presente).

Acentuação 5 – some o acento agudo no u forte nos grupos gue, gui, que, qui, de verbos como averiguar, apaziguar,arguir, redarguir, enxaguar.

Antes: averigúe; apazigúe; ele argúi; enxagúe (você).

Depois : averigue; apazigue; ele argui; enxague (você)

Hífen

Não se usa hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por "r" ou "s", essas devem ser dobradas:

Exemplos: antessala, antessacristia, autorretrato, antirrábico, antirracismo, antirreligioso, antissocial, antirrugas, arquirromântico, arquirrivalidade, autorregulamentação, autorretrato, biorritmo, contrarregra, contrassenha, contrassenso, extrarregimento, extrarregulamentação, extrassístole, extrasseco, infrassom, inrarrenal, microssistema, minissaia, multissecular, eorrealismo, neossimbolista, semirreta, ultrarresistente, ultrarromântico, ultrassecreto, ultrassom, ultrassonografia, suprarrenal, suprassensível.

(*) Em prefixos terminados por "r", permanece o hífen se a palavra seguinte for iniciada pela mesma letra: hiper-realista, hiper-requintado, hiper-requisitado, inter-racial, inter-regional, inter-relação, super-racional, super-realista, super-resistente.

Não se usa hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por consoante diferente de "r" ou "s"

Exemplos: anteprojeto, antipedagógico, autopeça, autoproteção, coprodução, geopolítica, microcomputador, pseudoprofessor, semicírculo, semideus, seminovo, ultramoderno.

Não se usa hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente.

aeroespacial, agroindustrial, antiaéreo, antieducativo, autoafirmação, autoajuda, autoaprendizagem, autoelétrica, autoescola, autoestrada, autoinstrução, coautor, coedição, contraexemplo, contraindicação, contraordem, extraescolar, extraoficial, infraestrutura, intraocular, intrauterino, neoexpressionista, neoimperialista, plurianual, semiaberto, semianalfabeto, semiautomático, semiárido, semiembriagado, semiesférico, semiobscuridade, semiopaco, supraocular, ultraelevado.

(*) Esta nova regra uniformizaa algumas exceções já existentes: antiaéreo, antiamericano, socioeconômico

(**) Esta regra não se encaixa quando a palavra seguinte inicia em "h": anti-herói, anti-higiênico, extra-humano, semi-herbáceo.

Não se usa hífen quando o prefixo termina por consoante e o segundo elemento começar por vogal.

Exemplos: hiperacidez, hiperativo, interescolar, interestadual, interestelar, interestudantil, superamigo, superaquecimento, supereconômico, superexigente, superinteressante, superotimismo.

Não se usa hífen quando em compostos que, pelo uso, perderam a noção de composição.

Exemplos: bateboca, ferrovelho, mandachuva, paraquedas, paraquedista, paralama, parabrisa, parachoque, rodaviva, tocafitas.

Usa-se hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com a mesma vogal.

Exemplos: anti-ibérico, anti-imperialista, anti-inflamatório, anti-inflacionário, auto-observação, arqui-inimigo, arqui-irmandade, contra-almirante, contra-atacar, contra-ataque, micro-ondas, micro-ônibus, micro-orgânico,semi-internato, semi-interno.

Usa-se hífen diante de palavra iniciada por h.

anti-higiênico, anti-histórico, co-herdeiro, macro-história, mini-hotel, proto-história, sobre-humano, super-homem, ultra-humano.

Usa-se hífen quando o prefixo termina por consoante e o segundo elemento começar pela mesma consoante.

hiper-requintado, inter-racial, inter-regional, sub-bibliotecário, super-racista, super-reacionário, super-resistente, super-romântico.

(*) Não se usa o hífen em casos como: hipermercado, intermunicipal, superinteressante, superproteção.

(**) Com o prefixo sub, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r: sub-região, sub-raça.

O hífen permanece

Casos:

• Em palavras formadas por prefixos: "ex", "vice","soto": ex-marido, vice-presidente, soto-ministro.

• Em palavras formadas por prefixos "circum" e "pan"+ palavras iniciadas em vogal, M ou N: pan-americano, circum-ambiente.

• Em palavras formadas com prefixos "pré", "pró" e "pós" + palavras que tem significado próprio: pré-natal, pró-desarmamento, pós-graduação.

• Em palavras formadas pelas palavras "além","aquém", "recém", "sem": além-mar, além-país,

aquém-mar, recém-casados, recém-nascido, recém-nomeado, recém-publicado, recém-plantado, sem-número, recém-saído, sem-pão, sem-palavra, sem-pudor, sem-razão, sem-sal, sem-terra, sem-teto, sem-vergonha.

• Em palavras compostas que não contêm elemento de ligação e constituem unidades sintagmáticas e semânticas: ano-luz, azul-escuro, médico-cirurgião, conta-gotas, guarda-chuva, guarda-roupa, guarda-noturno, porta-retrato, segunda-feira, tenente-coronel, beija-flor, couve-flor, erva-doce, mal-me-quer, bem-te-vi.

Não existe hífen

cão de guarda, fim de semana, café com leite, pão de mel, sala de jantar, cartão de visita, cor de vinho, à vontade, abaixo de, acerca de.

(*) Exceções: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao-deus-dará, à queima-roupa.

Postar um comentário

 
Top